quinta-feira, novembro 09, 2006

MÃES DAS PRAIAS

Volta do mar, pescador.
Há na terra um lugar,
onde te quero guardar,
meu amor!

A pesca que não encontras,
não está nesse lugar,
pescador. Não há no mar,
não percas tempo, não faças contas.

Com três filhos por criar,
volta para mim, vem a terra,
não me deixes nesta guerra,
pescador, volta do mar.

São nossos. Do nosso amor.
Vem. Volta para ficar,
algum rumo lhes vamos dar,
volta do mar, Pescador.

david-santos in ondas do mar

28 comentários:

Irene disse...

Olá
Fez-nos uma pequena visita no nosso blog, do MJS de Mirandela, e antes de mais queria agradecer, a mensagem e a visita, obrigada.

Falou de mim,... ia perguntar como descobriu que sou eu que estou por detrás do blog, mas tanto post é óbvio, né... mas queria acrescentar, que tudo, é um trabalho de equipa, eu só sou o mero instrumento que transmite, e passa para ali, o que gritam os seus corações,... a alegria das actividades,... a presença de Deus no meio de nós...
Sem eles, o meu trabalho não teria valor nenhum, nem tanta beleza, pois eles são a maior beleza que existe...
Mas mesmo assim, obrigada pela força, e fico contente, que também goste do nosso blog.
Obrigada

Irene disse...

Falei tanto de nós, que me esqueci de lhe dar os parabéns, desculpe.
Escreve muito bem, gosto muito dos seus poemas, são lindos.
Obrigada, por os partilhar connosco.

MRelvas disse...

Caro amigo David,já não há peixe,já não há pachorra para este mundo.Estamos "pacóvios" de mais,lutemos pela amizade,pela justiça,pela família,pelos ideais que conservamos nos nossos corações.Que se lixem os "ricos" actuais que pisam e fornicam quem sofre!
Belo poema!Como sempre!
Abraços
Mário relvas

ANTONIO disse...

Parece impossível que não tenha havido dentro do nosso Conselho quem se tenha dado ao cuidado de comentar este poema. A nossa terra e´tá já desde ontem a ser falada por todo o mundo, mas os nossos responsáveis que nunca a elevaram nem ao cuidado se dão de agradecer a quem a eleva e que nada tem haver com ela. Os responsáveis da nossa terra apenas querem encher a barriga transmitir ao mundo o pouco valor que temos já não é com eles. Tenham vergonha responsáveis deste Conselho.

nene disse...

Mais um lindo poema!
Um beijinho e um bom fim de semana:)

Maresi@ disse...

Grata pela sua visita ao meu Blog... Vim reler o seu..e gostei!
Poemas directos e frontais...com tema verdadeiramente português.... o mar, os pescadores e quem fica esperando por eles...

Gostei e voltarei...

Beijo suave___maresi@

david santos disse...

Aos emigrantes da Murtosa e da Torreira que me têm enviado (mails)acerca da não participação de pessoas da sua terra nos comentários, desde da América, passando pelo Canadá, Venezuela e Suiça, quero-lhes dizer que os adoro a todos, mas agradecia que não me enviassem mais correspondência por aquela via. Eu tenho-os a todos no coração. Quanto ao poema "As mães da Praia da Torreira", eu próprio já fiz contactos com organismos da vossa terra, mas a verdade é que não tenho qualquer comentário mas, também não sei, se as pessoas têm possibilidades, podem não ter. Mas de uma coisa podem estar certos, eu não vou postar mais nada durante uma semana, garanto, está bem?
Felicidades a todos e faço votos de boas vindas.
Até sempre: david-santos

Lord of Erewhon disse...

Simples e eficaz. Fez-me lembrar Raul Brandão.

Abraço.

Mário Margaride disse...

David boa noite.

Aquilo lá p`ras as outras bandas
Está em mar muito agitado
Os pescadores lá picaram
Não foi postado ao acaso postado

O seu poema é soberbo. Na subtil abordagem à angustia da espera.
Um abraço
M.Margaride.

delusions disse...

Que poema bonito! Conheço bem a praia da Torreira...

Bom fim-de-semana e obrigada pela visita e pelas palavras

non disse...

Muito bom poema!

(mas fica-me a pergunta: que fará um pescador fora do mar?)


:)

Claudia Perotti disse...

Tuas letras lembraram-me um livro de Jorge Amado que se chama "Mar morto".

Cheguei através dos teus rastros deixados no meu blog e amei o que li por aqui.

Voltarei!

Beijinhossss

© Piedade Araújo Sol disse...

Obrigada pelo coment que deixou na minha prosa.

Gostei de ler os seus poemas.

Joao Lourenço disse...

Boa noite..
Gostei imenso deste poema...um tema tao simples,um quadro tao belo...parabens.

Conceição Bernardino disse...

Meu querido amigo como sempre sabe usar o coração, dá um sabor às palavras como ninguém amei

beijinho
Conceição

saltimbanco disse...

:)

Outro livro que vou ter de comprar.

Obrigado.

Abraço

chuvamiuda disse...

...............
gostei do poema
...............

(obrigado pela visita)

Ana Patudos disse...

e como diz o ditado:
Há mar e mar
Há ir e voltar
Por isso esse pescador vai voltar conserteza.
Gostei do poema.
Já agora convido a passar no meu pequeno espaço que fica em :

www.pauldospatudos.blogspot.com
Abraço
Ana Paula

victor simoes disse...

David, está muito lindo e sentimental este poema... força amigo, continue a deliciar-nos com a sua escrita!

Um abraço

MiaHari disse...

David Santos,

Lindo o seu poema!
Sabe, à medida que o lia, senti a música, a voz das mães e das mulheres que à beira mar esperam, senti a surdina do mar levando e devolvendo o cântico da esperança...
Foi lindo!

Muito obrigada também pela visita ao meu espaço.

Um abraço.

Anónimo disse...

Ola David, o teu blog tambem é lindo :) - Gostei muito destes poemas aos homens do mar, pq embora nao tenha familia de pescadores, tenho familia da costa litoral e sempre acompanhei a vida do mar. É uma das profissoes que mais respeito.

Nao sei se viste um post que tenho em 28 junho, uma fotografia tirada em Leça da Palmeira, esta colocada na areia, esta um retrato muito muito bem conseguido.

Obrigado pela tua visita e beijocas :***

Dafne disse...

Olá David

Vim aqui ao seu cantinho agradecer a mensagem e a visita ao meu blog, mais uma vez. Obrigada por fazer parte do seu itinerário da blogosfera.

Os seus poemas são muito bonitos.
Bem haja!

Hugo Milhanas Machado disse...

Poesia.

Parabéns por todo o trabalho!

Um abraço.

Estrela polar disse...

Gosto do seu blog. As poesias que escreve tem como inspiração as musas da Torreira?! Na verdade esse mar salgado inspira e torna a escrita doce e fina como o bom mel. Parabens pela partilha no seu blog.

Ane Brasil disse...

gostei. Isso me lembrou 'suíte dos pescadores' do Caymmi: 'Minha jangada vai partir pro mar/ vou trabalhar/ meu bem querer...
Sorte e saúde pra todos

A disse...

Da praia da Torreira guardo más recordações dum amor ido... mas o Alberto (ou é Alfredo)... que maravilha de imperiais e de marisco!

:)

Obrigada pela visita

Beijos

Jyhael disse...

Estimado David, que asi sea... o tu por aquí o yo por allá, un fuerte abrazo y saludo... Jyhael, a tu disposición.

Jyhael disse...

Estimado David, que asi sea, o tú por aquí o yo por ahí, Gracias a Dios ya no existen distancias... Un abrazo y un saludo...
Jyhael